Segunda edição do livro Génese, Emergência e Institucionalização do Serviço Social Português da autoria da
P
rofessora Dra. Alcina Maria de Castro Martins


Integrado no Seminário Ibérico “A criação de riqueza como forma de combater a pobreza”, o Núcleo Distrital de Beja vai apoiar o lançamento do livro da Prof. Dra. Alcina Martins, com a realização de uma sessão de autógrafos a realizar no dia 30 de Abril, no Cine Teatro Pax-Julia.

A segunda edição do livro Génese, Emergência e Institucionalização do Serviço Social Português da autoria da cientista portuguesa Alcina Maria de Castro Martins, natural de Coimbra (1955) vem confirmar as expectativas e as preocupações dos assistentes sociais sobre a construção da história da sua profissão, resgatando o protagonismo destes na construção da democracia em Portugal no século XX. A autoridade desta investigadora reforça as bases desta identidade sonegada (muitas das vezes escondida) até o advento da Segunda República, porque intimamente construída sob a base da história das classes trabalhadoras. A questão social, como pano de fundo do século XIX e XX, retira os véus de uma história com protagonistas com pensamentos e ideais fruto do contexto nacional e internacional que atravessa o campo científico, especialmente as Ciências Sociais.

A presente edição internacional da obra (Portugal-Brasil) desta investigadora do Centro Português de Investigação em História e Trabalho Social (CPIHTS) e doocente do Instituto Superior Miguel Torga, revela a apropriação colectiva e o debate promissor num contexto em que, a condição da criança, da mulher, das instituições sociais, e a história da república portuguesa regressa ao debate científico. Longe de retratar o miserabilismo, este trabalho científico de Alcina Martins consegue estabelecer o diálogo multidisciplinar que perpassa a construção de todas as profissões na Europa e na América desde o último quartel de século XIX. Por esta razão chamo a atenção de estudantes e docentes, investigadores e historiadores para participar neste debate que não se esgota nesta obra, antes pelo contrário, as futuras gerações de profissionais demandarão mais informação sobre um projecto ético e político que ainda está no berço, porque a mudança está no presente e no futuro.


B. Alfredo Henríquez. C
.